Arrumando as bagunças do quarto (da vida)

quarta-feira, março 04, 2015


Não me lembro bem quando comecei a acreditar que, se não sou capaz de manter minha casa arrumada, minha vida será sempre uma bagunça.
As pessoas sempre me dizem que isso deve ser mania minha pra justificar meu 'T.O.C', e que tem muita gente que consegue perfeitamente se encontrar na própria bagunça. Eu não sou essa gente.


Nunca tive facilidade pra me manter calma, principalmente quando estou para iniciar algum ciclo de grande importância - ou sem importância nenhuma. A verdade é que mudanças me assustam e, pra me sentir segura, eu preciso também me sentir mudada. Limpar o quarto, arrumar a gaveta, mudar a cor da parede: são atos simbólicos que me fazem mais preparada e mais forte pra encarar o que vem pela frente.


  A gaveta arrumada que pra todo mundo parece frescura, pra mim é como um convite ao desconhecido. É como olhar nos olhos das boas novas e convidá-las a sentar, porque a mesa já está arrumada para elas. É como dizer que o controle está em minhas mãos e que, se eu preparei o terreno assim, se eu decidi que é aqui que vou colocar meu vaso de plantas, eu sou também capaz de tomar as rédeas do meu próprio destino e fazer do 'daqui pra frente' uma página em branco, na qual só eu sou capaz de escrever.

Posts que você pode gostar também

0 comentários

Posts populares do blog

Curta no Facebook!

Subscribe